Como um pai se relaciona com sua filha tem muito efeito sobre quem ela será no futuro

Tempo de leitura: 3 minutos

Os pais são os primeiros amores na vida das crianças, e é fundamental a existência desse vínculo, pois é a partir dele que as crianças irão formar o modelo de amor que desejam receber no futuro.

E se tratando do relacionamento entre pai e filha, é preciso uma atenção redobrada, pois dependendo do tipo de relacionamento que é construído, essa relação vai influenciar e muito em sua vida adulta!

O pai é aquele que vem separar a filha da mãe, permitindo que ela se relacione com “o outro”, o diferente. E isto, é de grande importância para seu amadurecimento emocional. 

Estou falando isso porque a menina projeta no pai todo o seu referencial masculino, e sim, isto vai influenciar inclusive na escolha de um companheiro na fase adulta.

A menina deseja sentir-se amada e valorizada. Ela quer que o pai note sua beleza, o cabelo arrumado, a roupa nova e seus sucessos na vida. Ela quer elogios e mimos.

É muito importante que o pai responda a essa necessidade da filha e demonstre que a vê e a aprecia. Isto a faz pensar que o pai se importa com ela e a admira.

Vocês não fazem ideia o quanto isso é importante para a construção da auto-estima da menina!

Toda menina quer ser a princesinha do papai, e não está disposta a aceitar qualquer tratamento inferior a esse. Críticas, embora se façam por vezes necessárias, não são bem-vindas.

Filhas que tem o pai agressivo, autoritário e desonesto, provavelmente se relacionarão com homens com estas características, pois este é o “modelo” masculino que ela guardará.

O pai deve mostrar amor por sua filha. Frases ríspidas e que denigrem a imagem da criança, que expõem que ela é má, ou que determinados comportamentos não o agradam, podem influenciar o pensamento que ela deve ser boa filha e fazer o que o pai deseja para ser amada, e isso pode leva-la a desenvolver baixa autoestima e insegurança. Ela pode passar a acreditar que se não é amada é porque é má.

Não estou dizendo aqui que o pai deve fazer tudo o que a filha quer, pois, limites são necessários, mas a maneira como ele a trata e expões a sua opinião pode sim impor respeito, mas não medo, temor ou submissão! 

Tratar a menina com respeito, confiança e amor, fará dela uma mulher segura e hábil para se relacionar não apenas com os homens, mas com todos ao seu redor.

Talvez você esteja lendo este texto e identificando algumas características que você não encontrou em seu pai. O apego, a admiração por você, o carinho e atenção! E provavelmente você ainda sofra por isso.

Por muitos anos os pais (homens) não se permitiram entrar no universo das filhas, entender como elas brincavam, sobre o que elas conversavam e quais as suas necessidades afetivas.

Fico muito feliz ao ver que isto está mudando, a passos lentos, mas está mudando!

Talvez você tenha se casado com alguém exatamente como o seu pai, e isto te incomoda às vezes, ou sempre. Ou talvez você nem tenha se casado, ou tem dificuldade em se relacionar com a figura masculina, no trabalho, no dia a dia, ou na relação afetiva.

Ao ler o texto, algo fez sentido para você? Como você se sentiu?

Pode ser que um incômodo ou uma ferida tenha ficado aberta ao perceber tudo isso, mas hoje eu quero te dizer que posso te ajudar!   

A psicanálise vai te ajudar a lidar com as feridas que surgiram no passado, e que ainda te causam dor no presente. Talvez você consiga encontrar algumas respostas, e eu te garanto que este é um passo largo em busca do bem-estar e da felicidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *